modernismo x pós-modernismo = design contemporâneo

modernismo

Na década de 60, surge o modernismo, que utilizava em suas composições o chamado grid system (sistema de grades), no qual tudo era estruturado respeitando-se as várias linhas de construção. Qualquer tipo de linha cursiva era desprezada em prol das linhas retas e geométricas. Assim, as tipografias manuscritas e serifadas deram lugar aos tipos de máxima legibilidade e uniformidade de traço. Por esse motivo, a tipografia Helvética foi intensamente utilizada nesse período.

Calendário de 1964 desenhado pelo modernista Wim Crouwel

pós-modernismo

Entre as décadas de 60 e 70, surge uma nova corrente de artistas gráficos para contestar e se opor à concepção do modernismo. O novo movimento ganhou o nome de pós-modernismo, cujo foco era a desestabilização da ordem em favor da anarquia, do caos, da emoção. A mistura de elementos de todos os tipos e épocas era permitida e incentivada. A geometrização das formas e as grids de composição eram, para esses artistas, um símbolo de repressão e banalização visual.

capa da revista little white lies, 2011, por david carson

design contemporâneo

A partir da década de 1980, com a saturação dos trabalhos pós-modernos, surge a tendência da mistura do modernismo e do pós-modernismo. O que antes era totalmente abandonado (racionalismo modernista), agora era reinventado com um viés pós-moderno. O novo desafio é inovar com o que já é conhecido.

Para tanto, o híbrido – a integração de formas geométricas com formas orgânicas, da simplicidade com o caos – torna-se terreno fértil e instiga a experimentação. O uso dos grids de composição são utilizados com mais flexibilidade. A ideia de duas ou mais coisas acontecendo ao mesmo tempo é recorrente no design atual. Por isso o extenso uso de técnicas de sobreposições e transparências.

cartaz para a exposição Fuse, em tokyo, 1999, por Neville Brody

china shadow, 2006, criação de Qian Qian

5 thoughts on “modernismo x pós-modernismo = design contemporâneo

  1. Ótimo post! David Carson e Neville Brody são estudo obrigatório para qualquer amante do design. Outro dos meus preferidos é Fred Woodward.

  2. interessante! me ajudou porque tenho dúvidas quanto ao moderno e contemporâneo. Aliás questionei isso em sala de aula. Parece que tudo que vejo é moderno e só entende? mas a referência, a pegada (modernismo) é muito forte. Obrigada!

Deixe uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s