o poder das cores

As cores são uma das ferramentas mais importantes no design gráfico, pois são capazes de transmitir sensações de diferentes formas: sutil, marcante, provocativa. Para realmente serem eficientes e transmitir um conceito, as cores devem ser aplicadas de forma objetiva.

A percepção visual não é imediata. Para a captação de uma imagem é necessário o tempo de latência, período que uma mensagem demora para atravessar um sistema, ou seja, do momento em que a informação é vista pela retina até o seu envio ao cérebro. Esse tempo de latência varia de acordo com as cores.

As cores quentes demandam tempo de latência menor do que as cores frias, porque o comprimento de suas ondas é maior. Dessa forma, são percebidas mais rapidamente.

O vermelho apresenta o maior comprimento de onda do espectro colorístico: aproximadamente 700 milimícrons (unidade de comprimento, equivalente à milésima parte de 1 mícron). Já na extremidade oposta do espectro, encontra-se o violeta, com o menor comprimento de onda: cerca de 400 milimícrons.

Um exemplo disso é o “fenômeno dos corações flutuantes” (abaixo), de Hermann Helmholtz (1821-1894), médico e físico alemão que estudou esse conceito e o comprovou com um desenho de pequenos corações vermelhos pintados sobre um fundo azul. Os diferentes tempos de latência do vermelho e do azul provocam um descompasso que cria a sensação de flutuação dos corações.

O tempo de latência é, portanto, um dos fatores que o designer deve considerar na escolha de uma paleta de cor. Outros conceitos são igualmente importantes na escolha das cores: conhecimento de sua simbologia, a relação fisiológica e psicológica com o ser humano, a relatividade entre as cores (a influência que uma cor exerce sobre a outra). Mas esses são assuntos para os próximos posts.

4 thoughts on “o poder das cores

  1. Oi Ra,

    Que Incrivel, quanto mais descubro (e muitas vezes através de você) sobre cores, mais fico impressionado com o quanto esse universo é vasto e profundo.
    Essa relação de latencia e milimícrons é muito legal.

    Adorei, agora é estudar mais.

    Muito Obrigado,

    Ale

    • Pois é, Alê, eu tb fico impressionada com esse universo colorido! Goethe, quando fez a sua teoria das cores, foi ridicularizado na época, acharam que o cara tinha pirado. Depois, viu-se o quanto existia ali de verdades e o material contribuiu imensamente no estudo das cores. É coisa pra se impressionar mesmo! beijo grande.

Deixe uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s