Pincelada oriental na arte ocidental

O sistema de cor clássico japonês se diferenciava do ocidental por possuir cinco cores primárias: vermelho, amarelo, azul, preto e branco. A partir dessas primárias, criavam-se nove secundárias e, raramente, utilizava-se uma cor primária ao lado de uma secundária que tivesse a primeira em sua composição.

Esse padrão oriental de arranjos assimétricos com a combinação peculiar de cores atraiu artistas como Van Gogh, Paul Gauguin e Gustav Klimt, entre outros.

Pegando vaga-lumes: xilogravura de Eishosai Choki, c. 1790

Van Gogh, que tinha uma coleção de mais de quatrocentas xilogravuras japonesas, reproduziu em alguns dos seus trabalhos o estilo de composição do ukiyoe (gravura japonesa em blocos de madeira), com o uso de cores vivas e traços simples e soltos. A ausência de sombras e a bidimensionalidade das imagens coloridas da xilogravura japonesa inspiraram sua arte.

Um dos artistas que despertou grande interesse em Van Gogh foi o japonês Hiroshige (1797-1858), que, em suas composições impactantes, retratava as paisagens cotidianas em cenas líricas de grande intimismo.

Hiroshige, 1857

Hiroshige, 1856-1858

Redesenho da arte de Hiroshige, por Vincent Van Gogh, 1887

12 thoughts on “Pincelada oriental na arte ocidental

  1. Adorei a materia! Acabei de comprar um impresso do Van Gogh em seu momento Japa…
    uma Gueixa arrasadora, chama-se “A Cortesã”.
    Bj,
    Li

    • Oi, Aline, desculpe a demora em responder, fiquei sem tempo por conta do volume de trabalho. Bem, achei um artigo muito interessante sobre o assunto da influência das gravuras orientais, em especial a japonesa, na arte impressionista ocidental. Veja no link: http://www.pucsp.br/iniciacaocientifica/20encontro/downloads/artigos/MARIA_APARECIDA_CORDEIRO_KATSURAYAMA.pdf
      Nesse artigo, a autora MARIA APARECIDA CORDEIRO KATSURAYAMA cita Van Gogh e Hiroshige, entre outros artistas. Veja nesse trecho do artigo, como é interessante o que Maria Aparecida diz: “O Japonismo foi mais do que uma novidade para os impressionistas. Um novo modo de olhar foi absorvido pelos artistas, que encontraram, então, nas gravuras Ukiyo-e respostas fundamentais para suas pesquisas sobre as novas maneiras de representar. As emoções causadas por essa escola popular das xilogravuras japonesas geraram uam grande revolução entre os pintores ocidentais e provocaram um excitante novo direcionamento para artistas como James Abbott McNeil Whistler (1834-1903), Édouard Manet (1832-1883), Edgar Degas (1834-1917), Claude Monet (1840-1926), Vicent Van Gogh (1853-1890), Paul Gauguin (1848-1903) e Mary Cassat (1844-1926), entre outros. Os pintores europeus aprenderam com os mestres japoneses do Ukiyo-e que os objetos mostrados apenas parcialmente podiam ser mais importantes que aqueles que estavam completamente visíveis na cena. A apresentação parcial de objetos que eram familiares ao observador sugeria imediaticidade e efemeridade ao evento retratado. Da mesma forma, a composição cortada, que remete a um enquadramento fotográfico, expressava a idéia de representação de um momento fugaz, subjetivado pelo olhar do artista.”

Deixe uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s