água na boca

O duo de cartões de visita do chef Neco Guarnieri, um apaixonado pela gastronomia molecular, foi desenvolvido a partir do conceito da transparência. Películas transparentes utilizadas nesse tipo de gastronomia e o uso constante da forma arredondada no design dos pratos foram o mote para essa criação. Sendo assim, os cartões do chef foram impressos em PVC transparente e acabamento de faca especial com bordas arredondadas.

Projeto gráfico de Entrelinha Design, que também teve a oportunidade de provar um belo jantar desse chef promissor e criativo. Já fica a dica!

Anúncios

depois da moda, joias

Sai agora do forno o segundo volume da coleção Design, da Senai-SP Editora: Traduções e inspirações – joias folheadas e bijuterias. O livro, projeto gráfico da Entrelinha, possui o mesmo formato do primeiro volume e o fechamento com elástico. Estruturado na última capa dura, foi montado um “berço” que contém miçangas, pingentes e pedras, além de um bolso que segura um outro livreto, que trata da aplicação do design, do branding e da economia criativa na criação e produção de coleções de joias e bijuterias.

Capas dos dois volumes da coleção Design. O segundo, de joias, foi impresso com 2 pantones metalizados (prata e ouro) + 1 pantone rosa + preto.

Capa dura com guarda preta e miolo impresso em couchê fosco.

Páginas do miolo.

Livreto encartado no bolso colado na última capa.

“Berço” com miçangas, pingentes e pedras.

Livreto impresso em duas cores.

Para ver mais, visite o site da entrelinha: www.entrelinha.art.br

bruno munari, no Tomie Ohtake

“Libro Letto” (livro-cama), de 1993

Exposição imperdível de Bruno Munari, “artista e designer italiano, morto aos 90, em 1998, fez de sua obra uma tentativa de identificar estruturas que já existem, a busca por uma beleza intrínseca aos objetos que fosse além de pretensões de estilo, subvertendo o design ao mesmo tempo em que exalta suas virtudes. Esses dois lados de sua obra, plástica e filosófica, estão agora num conjunto de 70 peças no Instituto Tomie Ohtake, um dos braços da Bienal de São Paulo fora do pavilhão do Ibirapuera.
(…) Seu “Libro Letto”, ou livro-cama, de 1993, é formado por colchas coloridas costuradas como páginas de uma história dominada pela cor. Versos como “amanhã será ainda hoje”, “o céu está cinza e as nuvens resmungam” ou “há um bom perfume de jasmim” estão bordados nas margens – o que torna a palavra algo secundário. É como se só os campos de cor respondessem pelas sensações, um design que abraça o discurso da arte como elemento capaz de comover.” Silas MartíFolha de S. Paulo.

Matéria completa na Folha de S.Paulo, caderno Ilustradawww1.folha.uol.com.br/ilustrada

BRUNO MUNARI
QUANDO: abre nesta quarta, 7/11 (às 20h; de ter. a dom., das 11h às 20h; até 18/2)
ONDE: Instituto Tomie Ohtake (av. Brig. Faria Lima, 201, tel. 0/xx/11/2245-1900)
QUANTO: grátis

bibliotecas do mundo

O livro Bibliotecas do mundo, de Daniela Chindler, infantojuvenil que a Editora Casa da Palavra acaba de lançar é uma delícia de viagem. Projeto gráfico da Entrelinha, o livro apresenta sete contos de diferentes bibliotecas espalhadas pelo mundo. Cada conto é ilustrado por um artista escolhido a dedo, o que dá ao livro a rica característica da diversidade. Dá uma olhada nas feras reunidas:

Biblioteca Internacional da Juventude, a maior de literatura infantojuvenil do mundo, ilustrada por Andrés Sandoval;
Biblioteca Nacional, mais velha que o Brasil, ilustrada por Bruna Assis Brasil;
Biblioteca-Parque da Rocinha, a nova geração, ilustrada por Ciça Fittipaldi;
Biblioteca de Basra, sobrevivente de guerra, ilustrada por Elma;
Biblioburro, biblioteca de livros ambulantes, ilustrada por Juliana Bollini;
Biblioteca de Alexandria, a mais famosa da Antiguidade, ilustrada por Mariana Massarani; e
Biblioteca do Mindlin, a biblioteca de um homem só, ilustrada por Mario Bag.

No site da Entrelinha, em lançamento, tem mais: www.entrelinha.art.br