Prêmio da biblioteca nacional

Com imensa alegria a Entrelinha comemora a conquista do prêmio literário da Biblioteca Nacional 2016, com a coleção “Pedro fugiu de casa” (Edições de Janeiro), na categoria Projeto gráfico.

A coleção – editada por Renata Nakano, com texto de Jorge Nóbrega e ilustrações de Guazzelli – contém sete livros encartados em uma luva.

1 234567

Veja mais aqui.

A lista completa dos vencedores no site da Biblioteca Nacional.

design consciente na saraiva

O livro “Fundamentos gráficos para um design consciente”, de Raquel Matsushita (Editora Musa) está a R$ 10,00 (dez reais) no site da livraria Saraiva:

http://www.saraiva.com.br/fundamentos-graficos-para-um-design-consciente-col-biblioteca-aula-musa-design-vol-1-3530662.html

Vale a pena!

Saiba mais sobre o livro aqui.

jabuti 2016

O livro Não, sim, talvez de Raquel Matsushita e Ionit Zilberman (Sesi-SP Editora) está entre os finalistas do 58 Prêmio Jabuti na categoria livro digital. 

naosim_banner

 

O livro conta a trajetória de amadurecimento de um menino muito perguntador que, inicialmente, fica contrariado quando há diferentes respostas para uma única questão. O personagem recebe diferentes respostas da mãe e da irmã. A mãe dialoga de maneira concreta e didática, embora não tenha resposta pra tudo. Já a irmã responde de maneira lúdica, ora zombando, ora acolhendo, relação típica entre os irmãos. Com o passar do tempo, o menino se dá conta de como é interessante ter diferentes pontos de vista e transforma-se num colecionador de respostas.

A história enfatiza a importância de adquirir conhecimento para que a criança possa criar a sua própria visão e dar voz à sua verdade. O livro põe em dúvida e expõe a dureza das chamadas “verdades absolutas”, logo na primeira página do livro, com a seguinte pergunta: quantas respostas uma pergunta pode ter?

A narrativa valoriza as perguntas, tão comuns às crianças, e mostra que o aprendizado não é tarefa fácil. Um esforço que vale a pena cultivar desde cedo para que a criança aprenda a pensar e agir por si.

A passagem do tempo é abordada na narrativa verbal e visual ao mostrar o amadurecimento intelectual e corporal do personagem. O livro mostra a relevância de “dar tempo ao tempo” para alcançar respostas genuínas, com reflexão, em oposição à uma sociedade ávida por respostas imediatas, que, muitas vezes, não correspondem à essência do sentimento. Portanto, o tempo aparece como ferramenta essencial a ser considerado para agregar não só o conhecimento geral, mas também de si próprio.

A linguagem visual das ilustrações reforça a ideia de agregar conhecimento, à medida em que as imagens se tornam mais complexas no decorrer da história. No início, as ilustrações possuem fundo branco, com desenhos em uma dimensão (sem volume, sem sombra). Conforme o menino faz as perguntas, as imagens ganham força com o fundo preenchido com a sobreposição de papéis pintados. No final, o personagem alcança uma nova dimensão ao ser desenhado em um papelão e colado nos papéis sobrepostos.

Confira a lista completa do Prêmio Jabuti aqui.
Para ver mais do livro, clique aqui.

Histórias da gente

historias_foto1

Esta é uma capa que constrói a história de muita gente: dos vinte autores-garis, da Entrelinha Design pela capa, de Walcyr Carrasco pelo prefácio, da CBL, Infinito Cultural e Inova pela idealização do projeto.

Foram selecionadas vinte histórias escritas pelos agentes de limpeza da cidade de São Paulo. As fábulas urbanas nos mostram que eles cuidam não somente das ruas, mas também das pessoas que convivem nelas. Retratam o cotidiano, há humor, tristeza, luta, amizade, coragem e até história de amor. Os escritores, guerreiros quase invisíveis, se enchem de luz ao lançarem a obra na Bienal do Livro de 2016.

Na capa, o instrumento de trabalho do gari e do escritor se fundem num só. Por meio do objeto de trabalho nos adentramos nas histórias tocantes de cada um. As cores remetem ao uniforme dos agentes, usado com orgulho inclusive no dia do lançamento.

Uma honra fazer parte desse lindo projeto.

Para saber mais:
http://www.storybox.com.br/bienaldolivrosp/

mesas de design na bienal do livro

Na Bienal deste ano, vou mediar duas mesas imperdíveis sobre design de livros:

  • Quem é o designer?, com Pedro Inoüe e André Lima. (16h)
  • Quem é o capista?, com Victor Burton, Gustavo Piqueira e Luís Bueno. (19h30)

No Anhembi, sábado, dia 03 de setembro, no estande das Edições Sesc.

Vamos?

Bienal do Livro SP
Av. Olavo Fontoura, 1209
www.bienaldolivrosp.com.br
de 24/08 a 04/09/2016

bienal_flyer

curso de design para livros

“Penso que forma e conteúdo de um livro estão intimamente ligados. Neste curso, serão abordados o conhecimento teório e prático do design gráfico, ferramentas potentes para a construção da forma, a serviço do conteúdo.” – Raquel Matsushita

cursoCBL

Ministrarei o curso Fundamentos do design gráfico para livros, na se da CBL em junho. Venham!

Quando
Às terças, dias 07, 14, 21 de junho de 2016
das 19h às 21h30 (com intervalo de 15 minutos)
Sede da CBL (R. Cristiano Viana, 91 Pinheiros)

Material
O aluno receberá um exemplar do livro “Fundamentos gráficos para um design consciente” (Musa Editora, 352 p.).

Conteúdo
Aula 1 – Design gráfico e tipografia
Aula 2 – Cores
Aula 3 – Produção gráfica

Biografia
Raquel Matsushita é designer gráfico e sócia do escritório Entrelinha Design, desde 2001. Graduou-se em Publicidade e Propaganda pela Universidade Metodista de São Paulo, e especializou-se nos cursos de Design Gráfico, Cor e Tipografia pela School of Visual Arts de Nova York. Trabalhou como editora de arte nas editoras Abril e Globo.
Premiada no 56º Prêmio Jabuti, em 2014, na categoria Capa e na categoria Didáticos e Paradidáticos. Finalista do 46º Prêmio Jabuti, em 2004, categoria Capa.